O Ensino da Língua Gestual Portuguesa como L2 no contexto bilingue das EREBAS

Luísa Freitas

Resumo


O presente artigo visa a reflexão sobre a importância do ensino da Língua Gestual Portuguesa (LGP) como L2 no contexto Bilingue das Escolas de Referência para o Ensino Bilingue de Alunos Surdos (EREBAS). Considerando a implementação do modelo bilingue, decretada pela Lei 3/2008, procura-se refletir sobre a aprendizagem da LGP por parte dos ouvintes e, consequentemente, sobre o impacto pedagógico, linguístico e emocional que esta aprendizagem terá nos alunos surdos. Por último, serão apresentados contributos pedagógicos para o ensino da Língua Gestual Portuguesa como Segunda Língua, evidenciando a importância da adoção de uma diferente abordagem para o ensino da LGP como L2.

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Licença Creative Commons
A Revista Investigar em Educação da SPCE está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2183-1793